quinta-feira, 26 de maio de 2016

Entrevista: Sara Portugal

Apaixonada por fotografia, Sara Portugal quer realizar o seu maior desafio com a revista Why Not: fotografar homens! Hoje é a protagonista desta entrevista no SobreTudo.

1. Quem é a Sara Portugal?
A Sara Portugal não passa de uma rapariga como tantas outras. 21 anos de Coimbra, residente em Tomar. Loucamente apaixonada e viciada por fotografia. Sonhadora, muito, sem dúvida, mas sonho com os pés no chão. Sou bastante lutadora e determinada. Adoro ter sempre o que fazer o que por vezes não é bom, mas parar é morrer!

2. Como nasceu a sua paixão pela fotografia?
A minha paixão por fotografia surgiu ao acaso numa altura da minha vida menos boa, algumas pessoas dizem que pessoa x ou y é a sua salvação, eu tive a fotografia como a minha, era um refúgio. Uma capa protetora foi o que me levou a atinar tanto pessoalmente como nos estudos e muito importante, socialmente.

3. Qual foi o seu primeiro trabalho? Conte-nos essa experiência.
O meu primeiro trabalho... Ora boa pergunta... Lembro-me perfeitamente da minha primeira sessão fotográfica, e confesso, tenho vergonha do que fiz na altura... Mas foi esse trabalho que me levou a ser o que sou hoje. Mas, o primeiro trabalho a sério, em que tive o meu primeiro rendimento foi para fazer uma sessão fotográfica a uma rapariga que queria renovar a decoração do quarto e então queria fazer essa decoração à base de fotografias dela. A rapariga era tão doce, tão feminina, que eu optei por fazer uma sessão na temática de conto de fadas. Foi nesse dia que jurei não desistir nunca da fotografia.

4. Encontra-se a estudar fotografia no Instituto Politécnico de Tomar. A fotografia será sempre o seu futuro?
Sem qualquer dúvida! Posso não ter sucesso profissionalmente (espero ter sinceramente, luto por isso todos os dias) mas se não for profissionalmente irá ficar como hobbie principal. Até custa dizer isto porque o que quero mesmo é viver da minha grande paixão. Afinal "quem trabalha no que gosta não irá trabalhar um único dia na vida"!

5. Lançou, esta semana, a nova revista WhyNot. O que é que os leitores podem esperar desta publicação online?
Acima de tudo espero que encontrem uma forma agradável de se distraírem após um dia de trabalho. O meu objetivo para a WhyNot é proporcionar prazer ao leitor. Neste momento a vida já é difícil e dar 10/15 minutos a nós mesmos para relaxar e descontrair é fundamental e nesse tempinho pode ler a WhyNot. Mas concretamente, vão poder encontrar dicas de moda, consultorias de imagem, maquilhagem, descobrir jovens talentos. E não se esqueçam, eu tenho orgulho em ser de Coimbra, por isso vão poder encontrar muita coisa de Coimbra! Viagens, espetáculos, eventos e muita Arte!

6. A modelo Mariana Sofia foi a primeira protagonista da WhyNot. Porquê?
Tenho uma razão maior que muitas das tantas! Ela é a melhor modelo de Coimbra! É uma grande pessoa! Lindíssima! Tenho orgulho na Mariana e nunca lhe escondi isso. Eu comecei a OneDay com ela e vai comigo até ao fim! Nem o céu será o limite!

7. Que reações já recebeu com este projeto?
Já tive das mais diversas reações: imensas mensagens de parabéns, a perguntar sobre a WhyNot, aplausos até! Tenho recebido das melhores mensagens da minha vida. (risos) Confesso até que estou orgulhosa de mim porque superei-me a mim mesma!

8. Qual seria o seu maior desafio como fotógrafa?
Neste momento, tenho um objetivo que considero ser um desafio para mim. Fotografar homens... Pode ser um desafio ridículo, mas como tenho menos à vontade e gosto preferencialmente de moda feminina, nunca liguei muito à arte de fotografar um homem e como acho que esse seria um ponto favorável para o meu rendimento profissional, vou arriscar e tentar trazer novidades na próxima edição da WhyNot.

9. Para muitos, uma fotografia é simplesmente isso. Para a Sara, como fotógrafa, o que é uma fotografia?
Por várias vezes que fiz essa pergunta a mim mesma e cada vez é mais difícil para mim responder. Isto porque uma fotografia tem vários significados para mim. Principalmente é uma caixinha de emoções. São memórias que um dia me vão ajudar a nunca esquecer quem sou, o que vivi, o que criei. Além disto, uma fotografia captada aos olhos, é o meu reflexo. O que eu vejo como eu vejo. Por fim, quando se trata de uma fotografia de mim, adoro ler a forma como sou vista aos olhos dos outros!

Sem comentários:

Enviar um comentário